top of page

Vereador propõe empresa pública de transportes em Natal

Proponente do projeto avalia que situação de segurança enfrentada pelo estado escancara necessidade de intervir no transporte público



Um requerimento legislativo de iniciativa do vereador Professor Robério Paulino (PSOL) foi aprovado pela Câmara Municipal de Natal e será enviado ao prefeito Álvaro Dias (Republicanos) com a sugestão de que seja criada uma empresa pública de transportes na capital potiguar.


Robério propõe a criação da empresa Ônibus do Sol, de transporte público e direito privado, além do Conselho e do Fundo Municipal Público de Transportes. Diante da importância para a cidade, bancadas da Câmara chegaram a um acordo e a decisão foi de encaminhar imediatamente o projeto como indicação para avaliação do prefeito.

Para o vereador, a atual crise na segurança pública do Estado agrava e escancara ainda mais a situação do transporte em Natal, que está há décadas na mão de empresas que nunca passaram por licitação. “Quem tem seu carro e dinheiro para colocar gasolina, não sabe o que significa ficar numa parada de ônibus, exposto a sol e chuva, esperando o transporte que nunca chega e, quando chega, já vem lotado. A frota está sucateada, é uma das mais velhas do Brasil. Não pode continuar assim. Precisamos ter um Conselho atuante que pressione por soluções”, defendeu o professor.


A proposta do vereador Robério Paulino sugere também a criação de um Fundo Municipal de Transporte, que daria suporte a essas tão necessárias melhorias. No entendimento do Professor Robério, a Empresa Pública de Transportes deve começar com as linhas desativadas, nas regiões mais periféricas, sem que haja a substituição dos alternativos e das empresas privadas e, sim, licitações eficientes para promoção de um melhor serviço.

As empresas de transporte que atuam em Natal, desde o início das atividades, trabalham apenas com concessão da prefeitura. Na capital potiguar, nunca foi feita uma licitação. A primeira tentativa ocorreu em 2013 e, até hoje, nada mudou.


“O certo é que não se pode continuar do jeito que está. Temos de oferecer alternativas para a população. Muita gente corre riscos na rua, financiando motos ou saindo de madrugada de casa em bicicletas para fugir da tarifa alta e da péssima qualidade dos ônibus. Os empresários reclamam de prejuízos, mas quem está realmente no prejuízo? São eles ou o povo?”, questionou o vereador.


Estavam presentes acompanhando o tema abordado movimentos sociais e estudantis que aprovam a empresa pública de Transportes entendem que todas as pessoas, Independente de renda, tem direito de ir e vir “ Para a gente que é mulher e depende de ônibus, é difícil demais. Além de trabalhar, temos de levar as crianças para escola, fazer a feira, é muito complicado com a precariedade do transporte público”, ressaltou Kivia Moreira, do Movimento Mulheres Olga Benário.





E os argumentos em defesa do projeto se estenderam. “Temos apenas oito circulares rodando na UFRN e isso é muito insuficiente para a demanda que existe dentro da Universidade diante da quantidade de estudantes. A gente anda que nem sardinha dentro desses ônibus , são empresas privadas que só visam lucro, então SIM à estatização dos Transportes. A qualidade do transporte é essencial para melhorar a qualidade de vida da população”, pontua Ana Beatriz Sá, militante do Movimento Correnteza e diretora de mulheres do DCE da UFRN.


Já para a universitária Ariane Idalino, o que foi posto à votação na CMN foi muito relevante, momento de embate também, por que é perceptível que nem toda a Casa tem interesse. “Pensar um projeto dessa envergadura é muito importante, precisamos de transporte de qualidade para que dele depende diariamente”, finaliza a estudante de Direito.


Matéria publicada no site do AgoraRN 28/03/2023

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Yorumlar


bottom of page